Uma leitura de gênero a partir das relações de poder no pentecostalismo brasileiro

Izabel Cristina Veiga Mello

Resumo


A partir de uma releitura histórica e sociológica, pretende-se descrever a concepção do ministério feminino dentro das relações de poder existentes no pentecostalismo brasileiro, em especial, na Igreja Assembléia de Deus. Busca apresentar como se estabelecem as relações de poder em sua estrutura interna e a concepção acerca do ministério feminino, a partir do trabalho missionário desenvolvido por Frida Vingren. Concomitantemente, ausculta-se as decisões das Convenções Gerais acerca desse assunto. Privilegiando os elementos constitutivos e fatores internos e externos que propiciaram a organização na forma hierarquizada que essa igreja assume, enfatizando análises sociológicas das especificidades da estrutura religiosa pentecostal. Propõe-se ainda analisar este sistema de governo à luz da concepção foucaultiana de poder.  O conflito e a luta pelo estabelecimento e manutenção do poder/dominação, bem como, o estabelecimento e a manutenção da autonomia das mulheres fazem das relações de poder no pentecostalismo uma das categorias centrais da análise deste artigo.


Palavras-chave


Ministério feminino; Relações de poder; Pentecostalismo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v24i0.122

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400