Espiritualidade: uma questão de saúde?

Darlei de Paula

Resumo


Este artigo tem por objetivo apresentar a espiritualidade como elemento contribuinte para promoção da saúde, considerando que a concepção de saúde não abrange apenas ausência de doença, mas compreende o campo da promoção além da terapêutica. Neste enfoque, a liturgia entra como instrumento que proporciona o cultivo da espiritualidade. A prática litúrgica composta por elementos como a oração e o ritual são ações que expressam a vida do dia a dia da pessoa. Portanto, não pode ser considerado elemento desprezível na formação de valores, bem como no comportamento social do indivíduo. A espiritualidade tem que ser vista como resultado independente da denominação religiosa à qual uma pessoa possa pertencer e sim, como expressão da vivência salutar do cultivo da espiritualidade. No entanto, quais seriam os elementos possíveis de serem elencados que contribuem para o desenvolvimento de uma espiritualidade de engajamento no campo preventivo? O que ainda pode ser nesta ótica considerado terapêutico, por proporcionar melhora ou alívio do sofrimento psíquico que alguém possa estar sofrendo? E estes elementos podem ser considerados instrumentos de promoção da saúde e terapêuticos?

Palavras-chave


Saúde; Espiritualidade; Liturgia; Promoção da saúde

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v27i0.221

Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400