Da ética humanitária A uma ética planetária

José Neivaldo de Souza

Resumo


É fundamental que articulemos novos valores que, a partir de uma consciência crítica e ilimitada, possa transformar velhos hábitos. O conceito de amor ficou restrito à razão e esta se tornou o critério de toda dominação, trazendo mais uma noção de cumplicidade entre os racionais do que um sentimento de solidariedade entre todos os seres da terra. Neste sentido, urge uma reflexão que diferencie as visões éticas: uma a humanitária, que se estabelece tendo o ser humano como origem e fim de toda existência; a outra, planetária, em que se propõe a repensar o conceito "vida" como um todo, ligando-o ao amor, pois, só pelo amor o ser humano pode se ver como uma parte pelo todo; como um elo pela corrente; como um ser pelos seres; como uma vida pela a vida.

Palavras-chave


Ética humanitária; Ética planetária; Vida

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v26i0.226

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400