Ethos religioso e resistência na Fazenda Ibicaba no século XIX

Gerson Leite de Moraes

Resumo


O propósito deste trabalho é analisar a relação conflituosa que desembocou numa rebelião de colonos europeus na Fazenda Ibicaba, no interior de São Paulo, no século XIX. A relação conflituosa foi analisada através do viés religioso e historiográfico. Os imigrantes europeus que vieram trabalhar e substituir gradualmente a mão-de-obra escrava negra, nas lavouras de café do interior paulista, acabaram sendo totalmente enganados numa relação desproporcional, chamada de regime de parceria. A maioria desses imigrantes europeus eram oriundos de países com tradição protestante. Entre outros fatores, o habitus protestante desses colonos foi decisivo para o levante. O livro-testemunho do suíço Thomas Davatz, intitulado Memórias de um colono no Brasil (1850), servirá de base para o trabalho que ora se apresenta.

Palavras-chave


Religião; Resistência; Fazenda Ibicaba; Imigrantes

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v39i0.2419

Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400