O Templo de Salomão (IURD) como projeto de nova gestão identitária

Nelson Lellis

Resumo


Considerando a construção do Templo de Salomão (TdS) no bairro do Brás, na cidade de São Paulo, como o novo mo(vi)mento da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), o presente artigo tem por interesse analisar essa construção identitária que se utiliza de mecanismos do Primeiro Testamento. Numa linguagem que aqui é relacionada com a formação de um projeto de controle social (Platão / Marcel Detienne), o mito é apresentado como sua mais efetiva ferramenta e que se desenvolve a partir de uma hierarquia. Uma cidade defendida por mitólogos, com leis e discursos criados a fim de uniformizar seus cidadãos, serviria como um modelo teórico para se pensar o recente projeto (TdS) da IURD, quando regras bem distintas dos outros templos são determinadas e um projeto de controle (ou gestão) é formado diante de seus membros/frequentadores a fim de se aproximar do modelo do Primeiro Testamento, formando, assim, uma (possível) identidade neo-judaica.

Palavras-chave


IURD; Templo de Salomão; Primeiro Testamento; projeto de controle; mitólogo.

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v41i0.2608

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários


Direitos autorais 2016 Protestantismo em Revista

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400