A queda do opressor em poesia: análise exegética de Isaías 47.1-11

Tiago Abdalla T. Neto

Resumo


Este artigo tem como propósito realizar uma análise exegética de Isaías 47.1-11, revelando a crítica poética do profeta judeu à dominação e ao abuso de poder do império babilônico junto com o anúncio de sua queda derradeira. Em primeiro lugar, a análise literária examina a estrutura do texto e os aspectos retóricos do discurso do autor de Isaías 47. Em seguida, o contexto histórico esclarece o ambiente sociorreligioso do público ao qual o profeta se dirige, em que um grupo considerável de judeus sentia-se a atraído a seguir os deuses de seus dominadores, em vez de confiar em Yahweh, a divindade da nação. Por fim, a análise do conteúdo investiga a mensagem, de maneira detalhada, proclamada pelo profeta judeu, revelando tanto a crença na soberania universal de Yahweh quanto a faceta transitória do império caldeu autoconfiante.


Palavras-chave


Babilônia; exílio; exegese; Isaías 40—55; Profetas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v43i2.2859

Direitos autorais 2018 Protestantismo em Revista

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400