A “morte de Deus”: O aforismo 125 de A Gaia Ciência

Everton Nery Carneiro

Resumo


Nosso objetivo nesse estudo é abordar o tema da morte de Deus em Nietzsche, a partir do aforismo 125 de “A Gaia Ciência”. A pergunta que se faz é: o que Nietzsche aspirava dizer com esse aforismo? Como podemos entendê-lo e interpretá-lo? Nietzsche está abordando a Europa sem Deus, a concepção cristã que Deus morreu, pois não tinha como mais ser racionalmente percebida e acolhida. Em Nietzsche, trata-se de uma representação de Deus que escravizou o humano e lhe negou a sua transcendência. Ou seja, o Deus da metafísica está morto, não há mais fundamento definitivo e o ser acontece na história. Sendo assim, respectivamente, as metanarrativas teológicas e filosóficas são negadas, as metáforas estão libertas e o ser humano é sempre um ser humano no mundo. A “morte de Deus” revela a morte do autor. Duas vozes se levantam sobre essa morte, a do autor: Foucault e Barthes.


Palavras-chave


Morte de Deus; Gaia Ciência; Aforisma; Nietzsche; Morte do Autor.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v44i2.3603

Direitos autorais 2019 Protestantismo em Revista

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400