Igrejas Independentes Africanas redefinindo interculturação? Uma avaliação teológica negro-africana

Reggie Nel

Resumo


Proponentes da teologia negra sul-africana frequentemente fizeram o apontamento crítico de que as verdadeiras raízes da corrente da teologia pós-colonial são a primeira geração do povo africano que "dançou" para fora das igrejas europeias brancas, formando as Igrejas Independentes Africanas.Desde uma perspectiva norte-americana, talvez tenha sido o grande ancestral da articulação acadêmica da teologia negra da libertação, o próprio James Cone, que argumentou que a religiosidade popular cantada, dançada e gritada, subversiva e desafiante, constituiu a verdadeira expressão da resistência negra contra a escravidão e, mais tarde, contra o racismo branco institucionalizado. O artigo discute a relação das Igrejas Independentes Africanas com a interculturação.

Palavras-chave


Igrejas Independentes Africanas; Interculturação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v28i0.377

Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400