“Diálogo das culturas” versus “embate das culturas”? A atualidade de Ibn Rushd na filosofia arábico-islâmica da atualidade

Sahran Dhouib

Resumo


De que maneira Ihn Rushd (1126-1198), um filósofo do século XII, pode despertar o interesse do discurso filosófico atual? Não é de antemão implausível querer tratar os problemas filosóficos do presente tomando como ponto de partida uma cosmovisão de cunho medieval? Questões filosóficas como racionalidade, modernidade, pós-modernidade, globalização, direitos humanos, interculturalidade ou transculturalidade poderiam ou mesmo deveriam ser abordadas com o auxílio de uma imagem de mundo que se originou num outro contexto cultural, para o qual tais questões aparentemente são estranhas?A influência de Ihn Rushd sobre a filosofia arábico-islâmica atual, isto é, sobre o discurso de fala arábica e cunhado pelo islamismo é multiforme a complexa. Essa discussão comporta não só um exame sistemático da filosofia de Ihn Rushd, mas também uma elaboração da sua filosofia em vista dos diversos problemas culturais, teológicos e filosóficos do pensamento arábico-islâmico no século XX.

Palavras-chave


Diálogo das civilizações; Ibn Rushd

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v28i0.378


Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400