As origens do livro emblemático O coração do ser humano (1812), de Johannes Evangelista Gossner: continuidade e releituras da religio cordis nos séculos 16 a 19

Helmut Renders

Resumo


Este artigo investiga as fontes textuais e imagéticas do livro O coração do ser humano (1812), de Johannes Evangelista Gossner. Ele mostra como o alemão Gossner depende de iconografias flamengas e, especialmente, francesas, em sua visão do mundo mais pessimista e sem a leveza da religio cordis do barroco e rococó. Face a face aos movimentos revolucionários e as guerras napoleônicas, apresenta-se uma versão da religio cordis como recuo ao cuidado com o interior pessoal, conscientemente desconectado do mundo e desconfiando do mundo.

Palavras-chave


Religio cordis; Miroir du pécheur; Michel Nobletz. Vincent Huby; Johannes Evangelista Gossner

Texto completo:

PDF (Português)


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v29i0.422

Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400