Análise do modelo SEBRAE à luz das contribuições da Economia Solidária

Andressa Corrêa

Resumo


Este trabalho irá descrever o cenário brasileiro das micro e pequenas empresas individuais e associativas, contrastando-o com a concepção de empreendedorismo empregada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE. Para tanto, realiza-se uma pesquisa documental em bases de dados nacionais e em textos da biblioteca online da instituição supracitada. A análise dos materiais evidencia uma distância significativa entre o padrão de fomento divulgado, o qual se funda nos cânones do típico empreendedor schumpeteriano, e uma realidade precária que não logra preencher tais assertivas. Considera-se que tal incoerência – entre modelo de fomento e empreendimentos – não auxilia na promoção dos pequenos empresários e torna necessária uma revisão do conceito de empreendedorismo. Neste caminho, evidenciam-se algumas contribuições da Economia Solidária, materializadas em uma compreensão plural de economia que, na reprodução dos empreendimentos, comporta, além do intercâmbio (trocas com o mercado), a redistribuição e a reciprocidade.


Palavras-chave


Empreendedorismo; Associativismo; Economia Solidária

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v23i0.63

Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400