As potencialidades da economia solidária na redução das desigualdades de gênero

Élen Cristiane Schneider

Resumo


O artigo em questão busca averiguar as possibilidades de haver, no âmbito dos grupos de economia solidária, elementos capazes de favorecer a superação das desigualdades de gênero. Conduz-se essa questão-chave por meio de um tripé analítico: a) a mulher-sujeito, que se constitui e se reconhece em suas práticas cotidianas; b) economia solidária como conceito e como forma de trabalhar; c) o retrato brasileiro da participação das mulheres na economia solidária e as possibilidades de redução das desigualdades de gênero na prática de um trabalho solidário. Respalda-se em pesquisa concluída no ano de 2008, que buscou inferir a contribuição da economia solidária para a redução das desigualdades de gênero, a partir de uma análise realizada aos empreendimentos formados por mulheres, utilizando um corpus de dados constituído pelo Primeiro Mapeamento Nacional da Economia Solidária no Brasil e por entrevistas realizadas na IV Plenária Nacional de Economia Solidária, com lideranças de diversos estados do país.


Palavras-chave


Trabalho; Economia solidária; Desigualdades de gênero

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22351/nepp.v23i0.65

Direitos autorais

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional

 ISSN 1678-6408


Rua Amadeo Rossi, 467
Morro do Espelho - São Leopoldo - RS - Brasil
CEP 93.030-220 - Tel.: +55 51 2111 1400