Comentários do leitor

Evoluindo com o ingles do jerry costa

por dayse shirley (2017-05-06)


Esta é a estratégia básica. Novamente, essa estratégia é intensiva, porque aprender um idioma em três meses é uma tarefa difícil. Se você preferir aprender idioma mais devagar, ou não tem a opção de ir até outro país e praticar 4~8 horas por dia, então pode modificar plano. Entretanto, é extremamente importante praticamente todos os dias inglês do jerry — 20 minutos por dia é muito melhor do que duas ou três vezes por semana.

Qualquer idioma tem suas regras e suas exceções, e seguir essas ordens são muito difíceis quando simplesmente decoramos mas não interiorizamos. A familiaridade com os sons e com as estruturas escritas faz com que aprendamos algumas regras meio intuitivamente”. Para quem quer aprender sozinho, ter esta intuição” é fundamental pois você é seu próprio tutor. Portanto, intensifique a prática da escrita conforme for se sentindo mais seguro e familiarizado com a língua.

Escolha um tema, escreva uma pequena redação e guarde. Depois de algum tempo, recupere este texto e leia, se autoavaliando. Repita exaustivamente até que você, um dia, perceberá que escrever começa a se tornar mais fluido. Atualmente, tenho 24 anos e sou formado em Administração. Fiz curso de inglês durante 5 anos e meio. Só que, não tenho fluência, consigo desenvolver uma ótima escrita e até entender a fala (desde que não seja rápido demais), quando estava na homestay, eu conversava bastante e eles conseguiam me entender mesmo que eu tivesse que dar uma volta ao mundo para explicar algo. nível de inglês considerado nativo é adquirido somente na fase de fluência avançada.

Assim como aprender a falar a língua materna, em geral aprendizado de um novo idioma inicia-se com ouvir atento às palavras pronunciadas (processo de conhecimento do novo idioma). Aos poucos a criança passa a compreendê-lo e só então começa a pronunciar as novas palavras (processo de aplicação da nova língua). Introduzir um novo idioma de forma gradativa, lúdica e estruturada, torna aprendizado natural e prazeroso.

Não tiro mérito do que você disse, e creio que, de um modo geral, tens razão. É mais importante dar um caminho natural ao aluno, de descoberta da língua através dos textos mesmo e da língua falada, só indo à gramática mais tarde. Contudo, creio também que é necessário respeitar as preferências e tempo do aluno. Se ele gosta e quer estudar gramática, ótimo! Cabe ao seu professor orientá-lo quanto às questões pertinentes a isso: que, só a gramática isoladamente não vai ajudá-lo muito, encorajar a audição de diálogos nativos, enfim, dar as implicações sem tolhê-lo de forma alguma.



Naquela mesma época, eu naturalmente tinha aulas de inglês na escola, porém não sentia prazer em estudar e aprender idioma, pois não gostava da maneira como ele era ensinado. Eu sabia que isso não era culpa da nossa professora. Porém, um certo dia, tivemos uma atividade muito interessante, que consistia em escolher alguma música de que gostássemos e depois traduzi-la. Fizemos essa atividade e confesso que foi uma das melhores aulas que tivemos. A partir daí, resolvi fazer mesmo com as letras das músicas que eu ouvia sem parar.

Eu simplesmente pegava os encartes de CDs e estudava as letras, traduzindo-as, aprendendo novas palavras, frases e expressões, além de observar como as frases eram estruturadas, aprendendo assim um pouco de gramática. Fiquei muito animado, porque eu havia feito uma grande descoberta: a maneira que mais me agradava e motivava a aprender um novo idioma.